Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Bonecas de pano – porquê?

Estou de volta!
No meio de pesquisas sobre bonecas de pano, bonecas Waldorf e “peluches” para me inspirar para novos projectos do Vermelho Morango, encontrei este artigo que achei realmente importante.
Um artigo que explica com palavras o grande objectivo que existe por trás do Vermelho Morango, o seu conceito, crença e filosofia.
A diferença entre brinquedos plásticos e químicos e frios e brinquedos quentes, com texturas e materiais que estimulam o desenvolvimento da criança em vez de o bloquear.

Vejam
“A origem da boneca é tão antiga quanto a história do homem e provavelmente as suas primeiras aparições foram na Pré-História. Elas passaram a ser vistas como brinquedos infantis no século XVIII, sendo fabricadas a partir de então, em maiores quantidades.
No entanto, as bonecas atravessaram épocas e civilizações, representando valores humanos, históricos e culturais importantes.
Atualmente, nos deparamos com inúmeras distorções quanto à oferta de bonecas para crianças, pois, as mais vendidas não representam crianças, mas sim adultos. Por outro lado os materiais sintéticos (plásticos, borrachas, etc), que são utilizados na construção dessas bonecas, não estimulam as forças da fantasia da criança, eles não existem na natureza, por isso são frios, e ainda não oferecem nenhum valor construtivo para o desenvolvimento infantil.
Como educadores e pais, devemos nos questionar: O que pretendemos com as nossas crianças, e que valores queremos transmitir a elas? Qual a verdadeira função do brinquedo? Quais critérios escolhemos para presentear nossos filhos?
Na Pedagogia Waldorf, encontramos algumas questões significativas sobre esse assunto, destacando como exemplo a importância da simplicidade dos brinquedos que possibilita à criança ter uma fantasia mais rica e uma imaginação criadora. Outro aspecto relevante a ser abordado se refere aos tipos de bonecas e ao processo evolutivo da criança, ou seja, ela deve brincar com bonecas adequadas à sua faixa etária, respeitando as suas necessidades anímicas.
A boneca para a criança é um espelho do seu ser, é uma amiga muito próxima do seu coração, pois sempre a acompanha em todos os seus momentos, seja nas brincadeiras, nas tristezas e alegrias, na cama ao dormir, por esse motivo a criança estabelece uma relação de imenso valor para com a boneca, e isso não ocorre com outros brinquedos.
A criança precisa vivenciar diferentes tipos de materiais naturais como: lã de carneiro, feltro, malha de algodão, etc. Na verdade, estes materiais são vivos e despertam calor, segurança. Isto ela pode aprender com este tipo de boneca.
Assim, uma boneca elaborada a partir dessas concepções, possibilita à criança cultivar o seu próprio ser. Oferecer à criança, brinquedos confeccionados com respeito e qualidade é um gesto de amor que certamente deixará boas sementes para o adulto que virá.
“A boneca é a imagem do ser humano. A criança a imita e se identifica com ela. Isto sempre temos de ter em mente quando fazemos ou compramos uma boneca para ela”.
(Renate Keller – Pedagoga)
E esta frase deixou-me de sorriso rasgado “Oferecer à criança, brinquedos confeccionados com respeito e qualidade é um gesto de amor que certamente deixará boas sementes para o adulto que virá.”, sabendo que o meu contributo vai tão neste sentido. 🙂

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: