Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Como podemos aliviar a dor durante o trabalho de parto?

Bom dia!!

Ontem, em conversa com uma mulher e mãe que teve a sua bebé em casa e que fez preparação para o parto com uma doula, apercebi-me, uma vez mais, da minha missão de doula neste momento específico da minha vida.
“E tens acompanhado grávidas?”
Não. Tenho espalhado informação! Tenho divulgado o que tenho aprendido. Tenho contribuído para escolhas conscientes! E uau!! Que trabalho este 🙂
Neste momento sinto que o meu contributo passa por dar informação às mulheres, divulgar conhecimentos para que estas se informem e saibam que podem escolher! Escolher o que quiserem, com total liberdade, consciência e responsabilidade.
Assim, hoje trago-vos informação sobre TÉCNICAS NÃO FARMACOLÓGICAS DE ALÍVIO DA DOR durante o trabalho de parto.
Uma amiga uma vez perguntava-me “Tu acreditas que mudando a percepção da dor, se sente menos dor? ” Sim, acredito. Acredito que a dor das contracções faz parte do ritual de nascimento. Não é uma dor que signifique que algo está mal no nosso corpo, bem pelo contrário. Quando sentimos dor muscular no dia seguinte a fazermos exercício físico intenso, tomamos medicamentos? Mas se sentirmos dor de estômago que até pode ser da mesma intensidade que a dor muscular, tomamos ou não? 🙂 E porquê? Uma associamos a trabalho físico, sabemos a origem e é bom! Outra associamos a doença, a qualquer coisa que não está bem com o nosso corpo e queremos imediatamente terminar com esse desconforto. Concordam? Ou não?
Durante o trabalho de parto, acredito que a dor seja MUITO intensa para muitas mulheres mas há realmente estratégias para aliviar essa dor que não passam por medicação.
> Massagem ou toque tranquilizante
O toque na pele induz a produção de endorfinas que são os nossos anestésicos naturais. Para além disto, aumenta também a sensação de bem estar. A massagem durante o trabalho de parto deve ser feita quando a mulher pede (não vamos estar a tocá-la sem ela nos dar essa indicação naturalmente) e com óleos essenciais de preferência sem cheiro uma vez que durante o parto o olfacto está super estimulado.
(Aqui podem ler mais sobre o poder do toque)
> Hidroterapia
A água quente tem este efeito. Quem não gosta de um banho quente ao final do dia para relaxar? 🙂
E não é preciso ter piscina de parto, um simples duche com água direccionada para as costas e ancas ou mesmo banho de imersão fazem milagres!
> Visualizações
Para muitas mulheres ajuda o facto de imaginar água em cascata ou flores a abrir ou algum sítio relaxante e seguro em que a mulher se sinta confortável e confiante. Imaginar abertura de flores de lótus, por exemplo ajuda, a que a mulher se concentre na abertura do cólo do útero.
> Movimentos rítmicos
A dança ou outro qualquer movimento ritmado ajudam ao relaxamento e à progressão do trabalho de parto.
> Respiração e relaxamento
Quem faz yoga entende este ponto perfeitamente. Quantas vezes não estamos a fazer uma série de exercícios físicos intensos, prestes a desistir, e assim que o foco passa para a respiração, aguentamos até ao fim? Respirar, respirar, respirar 🙂
> Sons e vocalizações
Para algumas mulheres é importante vocalizar. Muitas vezes têm essa vontade, de abrir a garganta e deixar sair o som, mas “prendem-no”. E isso acaba por criar tensão. O facto de estar preocupada com o barulho que está a fazer impossibilita a progressão do trabalho de parto e pode até aumentar a dor. Onde há tensão, há dor, certo?
> Encorajamento e reforço positivo
Mais uma vez comparo esta situação ao exercício físico. Quando falta pouquíssimo para terminar o exercício e estamos quaaase a desistir, o que muda quando alguém nos diz: “Boa! Estás a fazer muito bem, está mesmo quase!”? Este encorajamento, a meu ver, é precioso.
> Uso de rebozo
Rebozo é o nome dado ao pano/lenço que as mulheres mexicanas (originalmente) usam para as mais variadas funções – pode ser para cobrir o corpo, para pegar o bebé ao colo, para transportar o bebé, para transportar as compras….Durante o trabalho de parto o rebozo pode ser usado pela parteira e é útil para aliviar as dores, para movimentar o corpo, para a mulher se agarrar e baloiçar o corpo, etc.
Há vários vídeos que mostram a utilidade do rebozo e formas de usar 🙂

 

 

> Posições corporais durante o trabalho de parto
Quando temos alguma dor o nosso corpo adapta uma qualquer postura que naturalmente alivia essa dor. Quando magoamos um dedo, qual é o instinto imediato? Apertar, não é? E quando temos dores menstruais? Apetece encolher, manter uma posição mais fetal, sim? Durante o trabalho de parto a mulher deve ser encorajada a adoptar as posições que melhor lhe servirem em cada altura.
(Podem ver mais neste post )
Como vêm, há variadíssimas formas de lidar com a dor e atenuá-la durante o trabalho de parto!
Durante a preparação para o parto é importante falar sobre isto e dar a conhecer à mulher estas estratégias também para aferir quais fazem mais sentido ou não para ela 🙂
Feliz, muito feliz semana!!

 

[adaptado do “Manual de Doulas” da Doula Maria Luísa Condeço
imagens de http://thejoyofthis.com/2012/02/17/valeries-vbac-an-israeli-birth-story/
http://www.birthingnaturally.net/cn/tool/rebozo.html]

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: