Bom dia!!

O que é afinal Concepção Consciente? Há dias uma amiga perguntava-me: “Quer dizer que tens de te preparar de cada vez que tens relações sexuais e pensar que vais fazer um bebé?”
Para alguns casais, sim. Há-de ser isso. Mas, na verdade, não é só isso. É muito mais do que isso.
Segundo a tradição do Kundalini Yoga, o “conceito” que está presente na Concepção Consciente passa inteiramente pelo homem e pela mulher (eu diria pelo par, pelo casal) que, sendo elevados, se entregam, se respeitam e se honram mutuamente.
Ou seja, são seres fisicamente saudáveis, mentalmente estáveis e espiritualmente despertos. A atitude de gratidão prevalece nas suas vidas e cada respiração, cada momento é dedicado a manifestar positividade, a contribuir para elevar a energia da Terra. Dedicam-se em criar uma casa, um lar, repleto de paz e segurança, e mantém os seus corações abertos. Os seus corpos e almas unidos, criarão um filho através do seu amor, do seu respeito, da sua dignidade e generosidade, para que este seja “generoso, santo ou herói” para que possa também ele contribuir para a elevação da consciência do Planeta e irradiar a sua dignidade, divindade e graciosidade.
Para quem esta perspectiva é um bocado abstrata e confusa, dou-vos exemplos práticos que ajudem a entender 🙂
1. A vibração é poderosissíma. A água vibra com estas ondas reajustando os seus cristais de acordo com a vibração. Há experiências sobre isto [Dr. Masaru Emoto] podem espreitar 😉 Então se nós estamos com uma vibração de amor, de respeito, de expansão, de entrega, de prazer, de divertimento, de conexão em casal, é isto que nós vamos propagar a todas as nossas células, em primeira instância e por consequência, às células específicas da concepção – o óvulo e o espermatozóide. Assim, temos que as primeiras células do corpo físico do nosso filho vibram aqui, nesta frequência! Certo? 
Então a relação de casal deve ser saudável, respeitável, digna, não só o momento da relação sexual, obviamente. 
O momento da relação sexual que pode dar origem a um bebé deve ser cuidada neste sentido. Não será preciso estar mentalmente presa à ideia que estamos a conceber. Mas será benéfico saber, intrinsecamente saber, que desse acto de união e amor, pode surgir o nosso filho. E que vibração queremos nós propagar às primeiras células do corpo do nosso bebé? 😉 É aqui que está a consciência e a escolha!
2. A consciência acontece num só sentido, ou seja, não é possível termos consciência de algo e no dia seguinte não termos. Há várias máscaras e estratégias que a nossa mente pode arranjar para “acharmos” que perdemos a consciência. Mas isso é mentira. Se eu tenho consciência que, quando como carne, estou a comer um animal morto, que foi morto para ser o meu alimento, que sofreu porque o mataram, que foi separado da mãe, do filho, para ser morto, eu não vou perder esta consciência. Eu posso escolher comer carne sabendo isto. Mas eu sei isto. Eu não deixo de saber 😉
Assim, sabendo eu a importância que há na forma como o meu filho é originado, eu não vou deixar de saber isto. É como se uma luzinha tivesse sido acesa em mim. Ela está lá sempre para me lembrar como é, eu posso querer olhar para ela ou não 😉 Por isto, vou estar atenta e desperta e fazer o que me seja possível, para dar o melhor de mim.
Se eu sei que sou um corpo radiante, que irradio, eu sei que tanto irradio amor, paz, graciosidade, como irradio raiva,  negatividade e tristeza. Sabendo isto, eu estou atenta à forma como contribuo para o ambiente à minha volta.
Shiv Charan Singh diz: “Se o que vais dizer não é verdade, não contribui positivamente e não tem Graça, cala-te.”
É um grande desafio, mas é fazível e é muito recompensador.

Trazendo o foco para a Concepção Consciente, há que manter a casa, o nosso sítio, num ambiente elevado e limpo. Limpo literalmente, arejado, cheiroso, arrumado, organizado, fluente. E mantê-lo também num lugar limpo de ruído, limpo de mentiras, limpo de tensão, limpo de discussões, limpo de ego. Torná-lo num ambiente apaziguador, alegre, luminoso, respirável, inspirador!

Se estás a preparar-te para conceber, pode fazer-te sentido começar por aqui:
1. Cuida de ti, do teu templo que é o teu corpo. Bebe água, mantém-te hidratada, bem nutrida. Escolhe os alimentos que comes e alimenta-te bem. Exercita-te. Mexe-te.
2. Cuida da tua relação com o teu parceiro. Mantém-te elevada, atenta ao que dizes, ao que pensas, aos teus medos, às tuas inseguranças, ao apoio que és e que tens, ao amor que transmites e que recebes. Ao respeito. À união.
3. Cuida da tua casa, do teu espaço, do teu ninho, do vosso quarto.

[traduzido e adaptado do manual “Conscious PregnancyThe Gift of Giving Life” Tarn Taran Kaur Khalsa
imagem de http://www.lightstepsforyou.com/]

1.151 Comments