Tenho escrito muito no nosso diário de papel, tenho falado muito contigo Vasco e escrito pouco aqui.

Reparei agora que o último diário que fiz foi na semana 26. Podia ser um escândalo e uma grande falha, mas não. É o que é e está muito bem assim.

A gravidez está mesmo mesmo no fim. Ainda há momentos em que olho para a minha barriga ao espelho, me vejo a dar festinhas nela e a reafirmar “Estou mesmo grávida!”. E nisto passaram 9 meses!

Ao partilhar com a nossa Doula Márcia fiquei mais descansada quando ela me disse que ainda lhe acontece isso quando olha para os filhos. E o mais velho já tem 9 anos – “Ufa, não sou só eu!”

As últimas semanas passaram rápido. Sinto que vivi tudo o que era para viver com consciência e presença e por isso não sinto que tenha sido demasiado rápido. Mas que passou a voar, passou.

Senti cada movimento teu, cada soluço, dei todas as festinhas que podia. Continuamos a fazer a nossa aula de Yoga e sabe tão bem! Sinto que a minha concentração está pior, não é tão fácil conectar-me inteiramente com a respiração e exercícios porque estou mais alerta de ti e das sensações que me dás e não é tão fácil entrar em relaxamento profundo. O momento mais especial nas nossas aulas de Yoga é, no final, quando cantamos o Eterno Sol, eu me sento à frente do pai para sentires a vibração dele e a sua voz e cantamos os dois para ti, com as nossas mãos na minha barriga. É mágico!

Todos os dias ouvimos mantras e canto para ti e temos tido conversas interessantes sobre o parto que se aproxima. Aproveito as caminhadas que dou para te falar sobre as sensações que podes sentir no parto, como será o processo de parto vaginal, os apertos/massagens intensos que vais sentir e que vão ajudar-te a descer. E projecto o momento em que nos vamos ver, em que vou finalmente sentir-te no meu colo e tudo vai fazer ainda mais sentido.

Por esta altura sinto algumas contracções totalmente indolores, só apertos na barriga e tento estar o mais verticalizada possível.

Iniciei homeopatia de preparação para o parto há 2 semanas e sinto-me com mais energia desde então. Os finais de dia até esta altura eram totalmente sem energia e sem posição para estar e agora não. (A menos que andemos o dia todo de um lado para o outro e estejamos com muitas pessoas, aí sim, sinto a energia ir embora…)

Tivemos um concerto este fim de semana e estivemos até à última sem grande garantia de irmos. Explicamos-te que, se quisesses ir ao concerto, teria de ser cá dentro. E tu quiseste! Valeu bem a pena. Foi um momento único, muito emocionante e feliz! Tu dançaste muito, o pai deu-te muitas festinhas e estava orgulhoso que ali estivessemos os três e ainda recebemos felicitações dos músicos e da plateia.

Para além da eminência do parto, havia um furacão em Sintra anunciado e ponderamos não ir por causa do mau tempo. Mas tanto eu como o pai nos sentimos seguros e fomos. E sabes que mais? Afinal o furacão foi mais para Norte e não causou problemas nenhuns para os nossos lados. Ainda bem que não cedemos ao medo mas sim ao amor! 🙂

E mais um acontecimento relevante desta semana foi termos ido ao hospital fazer CTG para avaliar o teu ritmo cardíaco. Fizemos consulta com o obstetra e, na ecografia, detectamos um ligeiro abrandamento do teu ritmo que podia perfeitamente ser artefacto ecografico. Mas, como até às 40 semanas não iríamos fazer avaliação, o médico achou prudente fazer já e esclarecer. A ida até ao hospital foi gira. Todos os cenários em cima da mesa:

  1. Tu estares óptimo e tudo bem
  2. Tu teres realmente desaceleramento e precisarmos de vigiar
  3. Ser algo grave e termos de induzir o parto ou cesariana

De repente tornou-se muito perto o teu nascimento. Podia acontecer no dia seguinte! Não seria de todo nas condições que idealizava, mas a aceitação serve para isso mesmo. E aceitava a tua escolha, como tenho feito até então e continuarei a fazer.

Depois do CTG ser tranquilizador quanto ao teu ritmo (como já sabíamos ;)) e não mostrar contracções uterinas, senti que o teu nascimento era mais espaçado. Não seria nesta semana e talvez se aproximasse mais das 40 semanas. Vamos ver. Amanhã já são as 39 🙂

As mini-obras do que vai ser o teu futuro quarto começaram hoje. Também acho que isso influencia a tua vinda. Sensato como és, hás-de querer vir na calmaria de uma casa pronta, sem pó, com toda a nossa atenção para ti.

Se quiseres vir antes, não te preocupes. Contamos com 2 noites no hospital, por isso quando chegarmos, o pai já tratou da limpeza 🙂

E assim seguimos. Tranquila, confiante e cada vez com mais vontade de te conhecer!

Agora quando me olho ao espelho não fico só com as mãos na barriga mas já as ponho perto do coração a imaginar-te no meu colo. Até já meu amor!