Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Diferença entre “desculpa” e “lamento”

Ando para escrever sobre isto há algum tempo. Ultimamente, tenho falado sobre isto com várias pessoas e por isso, torna-se óbvio, que está na altura de escrever sobre a diferença entre “desculpa” e “lamento”.

Alguma vez pensaste nisto sequer? À partida a diferença pode ser tão subtil que nem se nota, mas na verdade, há diferenças e pesam a longo prazo.

Em Kundalini Yoga falamos da Culpa Vs Responsabilidade. A culpa é uma emoção. Uma emoção densa, pesada, desconfortável e limitante. A responsabilidade é a capacidade de dar resposta. São coisas completamente diferentes. Normalmente, quando algo não corre bem, como esperado e a responsabilidade é nossa, assumimos facilmente a culpa.

“Cheguei atrasada e podia ter chegado mais cedo – DESCULPA.”

“Pisei-te e não queria – DESCULPA”

“Fiquei de te responder e esqueci-me – DESCULPA”

“Estou a tomar o teu tempo – DESCULPA”

“DESCULPA, deixa-me só atender esta chamada”

etc, etc, etc

A culpa serve para olharmos para trás, para o que aconteceu, fazermos uma análise de consciência – “Fiz bem assim? Podia ter feito diferente? O que posso tirar desta experiência? Como posso melhorar para a próxima?” Tirarmos as nossas próprias conclusões e seguir em frente. Não é suposto ficar preso ao que aconteceu. Ficar a remoer que podia ter feito diferente. Que podia ter acontecido x em vez de y. Aconteceu. Ponto.

Acreditando que nada acontece por acaso e que tudo está certo num plano maior do que o nosso entendimento, então não precisaríamos de pedir desculpa por nada. Podemos pedir, claro, mas quando o pedirmos que seja assumindo que temos a responsabilidade do que aconteceu.

Se eu chego atrasada a um compromisso porque apanhei trânsito na estrada, a responsabilidade é minha? Se saí com mais do que tempo para imprevistos e ainda assim cheguei atrasada, preciso de assumir a culpa disso? Eu também não tive culpa. Fui apanhada no trânsito. Então, eu lamento ter chegado atrasada. Também preferia não ter chegado tarde. Ou se estou a falar com alguém e o telefone toca, preciso de pedir desculpa por o telefone tocar? Quanto muito peço, por educação, licença à pessoa para atender. Mas desculpa?

Parecem só palavras e formas diferentes de comunicar, mas a verdade é que as palavras têm imenso poder. Tudo o que dizemos conta. E como o Shiv Charan diz “Se o que vais dizer não é verdade, não é útil e não eleva o outro, está calado.” Quando eu peço desculpa eu estou a dizer-me “Tu tens culpa disto”. E isto é verdade? E isto é útil? E isto eleva-me? Não. Bem pelo contrário.

Há diferenças sim entre o “Desculpa” e o “Lamento”.

Começa hoje a ouvir-te com atenção e descobre em que situações dizes “desculpa”, com que frequência o dizes e se é realmente verdade que és culpada disso 🙂

 

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: