Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Gráfico da Mulher: temperatura corporal e muco cervical = ovulação

Bom dia!!
Finalmente comecei hoje a medir e registar a minha temperatura corporal basal! Em breve vou conhecer ainda mais e melhor de mim, dos meus ciclos menstruais, da minha sexualidade e da minha feminilidade! 
Hoje partilho convosco toda esta descoberta que tenho feito e partilho também o início deste processo de observação e registo.
Quando conheci a Júlia (a primeira mulher grávida que me contactou como doula!! Memorável!) tive pela primeira vez contacto com toda esta informação em relação ao ciclo menstrual. A verdade é que tomava a pílula anticoncepcional desde os meus 16 anos e nunca me preocupei com os meus ciclos. Nem fazia contas, nem registava os dias, nem nada! Absolutamente nada. No dia em que sentia que estava na altura de aparecer a menstruação, ela aparecia e pronto. 5/6/7 dias menstruada, o restante ciclo sem estar menstruada, fazia as pausas da pílula quando terminava a embalagem e ok. Este foi o meu cuidado para comigo mesma, neste âmbito, durante 7 anos.

Durante uma meditação em que me foi sugerido que sentisse o meu útero e ovários e imaginasse o óvulo a ser libertado, senti uma tristeza enorme e culpa, muita culpa. O que estava eu a fazer com o meu corpo? A pílula estava a impedir os meus ovários de libertarem óvulos a cada mês. Há 7 anos que eu não ovulava. Meu deus!! A decisão foi tomada meses mais tarde e em Outubro deixei de tomar a pílula. “Ok, agora vamos lá ver como o teu corpo se organiza.” Pensava eu. Respeitá-lo, permitir que aconteça – o que for. Borbulhas, ciclos irregulares, dores menstruais, irritação, flutuações de humor, fluxo abundante…O que seja. Eu desprezei o meu corpo e os meus orgãos reprodutores durante tanto tempo que agora estou completamente disposta a permitir que aconteça o que for preciso em direcção ao equilíbrio e à saúde.
Posto isto, quando a Júlia me mostrou o seu gráfico de temperatura corporal basal e muco e o dia em que ovulou e que engravidou, eu senti-me encantada por assistir a tanta sabedoria pessoal e ao mesmo tempo pensativa em relação à distância que criei com o meu corpo, em relação à falta de conhecimento que tenho sobre mim própria. “Ok, então vamos lá aprender e experimentar!”
Ontem finalmente comprei o termómetro e hoje decidi criar o meu próprio gráfico: Txaraaaann!
Vamos então começar pelo início:
TEMPERATURA CORPORAL BASAL (TCB) (ºC)
> O que é?
A TCB a temperatura mais baixa que temos ao longo das 24 horas do dia. Deve ser medida todas as manhãs ao acordar, antes sequer de nos sentarmos na cama ou levantarmos. Deve ser medida sempre à mesma hora, todos os dias. (É só colocar alarme no telefone – acordar – medir e voltar a dormir se ainda não for altura de levantar ;))
> O que tem a ver a TCB com o ciclo menstrual? 
A TCB, antes da ovulação,  situa-se normalmente entre os 36,2 e 36,5 º C. Com as alterações hormonais que acontecem ao longo do ciclo menstrual a TCB vai variando e aumenta cerca de 0,2 a 0,5 graus nos 2 a 3 dias seguintes à ovulação. Este aumento de temperatura mantém-se normalmente até à próxima menstruação.
Aqui é importante saber que só quando há ovulação, há aumento constante até à menstruação. Se esse aumento não se mantiver constante, então não houve ovulação. 
Durante a gravidez, a TCB mantém-se sempre aumentada 🙂
MUCO CERVICAL (MC)
> Existem vários tipos de corrimento vaginal, um dos quais o Muco Cervical. Ao longo do ciclo, com as alterações hormonais, o MC vai variando em quantidade, cor e textura. Logo, registar estas alterações dá-nos também informação relevante sobre o ciclo. O esperado que aconteça ao longo do ciclo menstrual é:
> primeiros dias (menstruação) – sangue 
> dias seguintes – muco esbranquiçado e grosso, com consistência parecida com arroz pegajoso
> período fértil (antes da ovulação, durante a ovulação e logo após a ovulação) – muco torna-se claro e escorregadio, consistência parecida com clara de ovo
O último dia em que temos muco tipo clara de ovo é o dia mais fértil do nosso ciclo e normalmente é o dia a ovulação ou o dia anterior à ovulação (Reparem como o nosso corpo é maravilhoso! O corpo prepara-se com um tipo de muco cervical que é facilitador para o esperma.)
OVULAÇÃO
> Quando existe ovulação?
A ovulação é determinada normalmente 2 ou 3 dias antes do aumento sustentado da TBC e normalmente é o último dia ou após o último dia do muco cervical tipo clara de ovo.
Sabendo agora toda esta informação, vamos à prática? Como observamos e registamos estes sinais?
> VAMOS PASSAR À ACÇÃO E VAMOS PREENCHER O GRÁFICO <
> Começamos o gráfico no primeiro dia da menstruação e esse é o dia 1 do ciclo. (Se como eu já vão a meio do ciclo e sabem em que dia vão, comecem na mesma. Sempre é mais meio mês de informação sobre vocês próprias ;))
> Colocamos a data em que estamos, o dia da semana e a que horas estamos a registar.
> Medir a TCB: Todos os dias, de manhã, à mesma hora, toca o despertador, pegamos no termómetro e medimos a temperatura – pode ser na boca, na axila ou na virilha. Escolhemos conforme preferimos e mantemos sempre o mesmo local. Registamos a temperatura no gráfico de acordo com o valor obtido.
> Observar o MC: Todos os dias, de manhã, à mesma hora, depois de medir a TCB, observamos o muco. Em mulheres com muco muito abundante esta observação pode ser através das cuecas ou do papel higiénico ao limpar. No entanto eu sugiro, e é como faço também, colocarmos um ou dois dedos na vagina até ao colo do útero e observarmos ao retirar. Até podemos fazer o típico abrir e fechar os dedos e observar não só a textura e cor como também a elasticidade.
> Relações Sexuais (RS): Para quem quer engravidar é perfeito. Mas para quem não quer este registo é importante também, na minha opinião, para observar como o desejo sexual varia com o próprio ciclo menstrual. Podemos descobrir alguns padrões bastante interessantes 🙂
> Lua: Registar em que fase a Lua está, porque nós, mulheres lunares, somos tão influenciadas por ela que achei importante acrescentar esta linha ao gráfico (e estou muito curiosa para descobrir a minha relação com a lua :))
E pronto. Posto isto, estamos prontas para começar já amanhã esta jornada de conhecimento feminino e sintonia com o nosso ciclo menstrual, certo?
Se quiserem o gráfico, enviem email para uaumama.blog@gmail.com e peçam. Tenho todo o gosto em partilhar este pequeno tesouro!!
Podem também comentar e partilhar o vosso registo. Podemos perfeitamente manter esta conversa em aberto e partilharmos juntas as nossas descobertas individuais 🙂 Vamos?
Até já!
(adaptado de http://www.babycenter.com/ovulation-chart e http://www.babycenter.com/chart-basal-body-temperature-and-cervical-mucus?page=2)

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: