Ao contrário do último post que escrevi, em que partilhei convosco os “essenciais” que pouco ou nada usei, neste post vou dizer-vos os que foram e ainda são realmente fundamentais para nós e porque o são.

Eleger os “10 essenciais mais essenciais” não foi tarefa fácil porque há realmente itens que são importantes no dia-a-dia com um recém-nascido e outros que, não sendo à partida tão importantes assim, nos conferem um conforto ou facilidade que, rapidamente, se tornam imprescindíveis na nossa rotina.

Bom, passando então a minha lista temos:

1. Ninho – o ninho (ou o redutor do berço) foi feito por mim e estava na minha lista de importantes. O que me levava a querer ter um para usar com o Vasco era o facto de manter o bebé mais aconchegado e com limites espaciais mais curtos. O que eu não sabia é que iria usar até ao dia de hoje (4 meses) para o Vasco dormir! Para além de ter sido essencial nos primeiros 3 meses em que o Vasco dormiu na nossa cama e o ninho serviu de separação entre ele e nós, ainda usamos para tornar o berço mais confortável. (Sei que há informação que desaconselha o uso destes ninhos por colocar a segurança do bebé em risco. Leiam e informem-se sobre isso antes de escolherem usar ou não.)

2. Pano porta-bebés – este sempre esteve na lista dos muito importantes. Usei-o todos os dias nos primeiros 3 meses (quer para passeio quer para fazer pele-com-pele e garantir sestas reparadoras) e uso-o agora para o adormecer e para passear. (Se ainda não conheces as vantagens de Babywearing, pesquisa e informa-te sobre o assunto).

3. Discos de amamentação – comprei-os um bocadinho porque “tinha de ser” mas tornaram-se uns excelentes aliados. Como não uso soutien, uso os discos enquanto estou a amamentar para não molhar a roupa com leite que vai pingando da maminha contrária. Comprei logo discos reutilizáveis e apenas uso desses. (Acho mesmo um grande desperdício usar discos descartáveis).

4. Camisas de noite de amamentação (várias) – FUNDAMENTAL por várias razões: para não apanhar frio durante a noite, para não ter de despertar muito para abrir botões e depois fechá-los, porque vão ficar sujas de leite muitas vezes e precisam de ser lavadas com muita frequência e porque durante a amamentação a temperatura corporal é mais alta e não aguento pijamas com calças. Antes do Vasco nascer tinha apenas 2 e emprestadas e já arranjei mais 2. Senti mesmo necessidade de ter e dou-lhes bastante uso.

5. Roupão ou camisola para dormir – eu sempre amamentei na cama, sentada ou deitada. E, no início, enquanto amamentava, apanhava frio no peito e/ou nas costas. Comecei a levar o roupão (que tem fecho à frente) para o meu lado e visto-o logo, assim que acordo, antes de dar maminha.


6. Luz de presença – Nos primeiros meses, até ganhar confiança e segurança para ter a luz apagada, precisava de ter uma luz de presença para, facilmente, ver a cara do Vasco. Ainda que ele dormisse ao meu lado, na mesma cama que eu, coladinho a mim, eu precisava de ver a carinha dele e confirmar que não tinha lençóis a tapar as vias aéreas, que os olhos estavam mesmo fechados e ele mesmo a dormir, ou que não estava engasgado ou a bolsar. (esta é daquelas coisas que só quando somos mães percebemos. este, aparente, “excesso de zelo” mas que existe e faz parte!)


7. Saco-cama de bebé – Não fazia ideia que era necessário mas tem sido fundamental. Principalmente para nós, que vivemos em Sintra e numa casa fria, tem sido mesmo importante. É um descanso saber que, mesmo que se destape, tem sempre aquela protecção quentinha. Não gosto de usar edredons com ele e, por isso, uso 2 mantas por cima do saco-cama.


8. Hidratante corporal para mim – Com a amamentação e com a menor ingestão de água que tenho feito, a minha pele está mesmo mesmo seca. É importantíssimo ter um bom hidratante corporal e ter tempo para o colocar no corpo.


9. Mala de maternidade – É daqueles itens que nos acompanha todos os dias. E mais, no meu caso, a mala de maternidade tornou-se na minha mala de sair. Escolhi uma com qualidade, prática e leve, onde possa colocar tudo o que preciso para sair de casa com o Vasco (fraldas, mudas de roupa, pano, gorro, boletim de saúde, etc.).


10. Espreguiçadeira – Esta é daqueles coisas que “sobrevivemos” sem ter mas, ajuda muito no dia-a-dia. Quando tomo banho, quando vou à casa de banho, enquanto cozinho, etc. Leva-se para todo o lado, cabe em todo o lado, mantemo-nos perto um do outro e vemo-nos um ao outro!

E cá está! Se há coisas que podem ser demais, há outras que são mesmo fundamentais. Claro que nesta lista não coloquei coisas como: banheira, cadeira auto, carrinho, roupa, etc porque isso já sabemos. Com esta minha lista pessoal quero mesmo mostrar-vos coisas que podem não se lembrar logo e que podem não aparecer nas típicas listas de maternidade mas que dão mesmo muito jeito no pós-parto e na maternidade.