Por vezes, quando pensamos em Meditação, achamos que é algo muito difícil, inacessível e que não dá para todos.

Quantas vezes ouvimos “Ah isso é muito parado para mim.” Sabes que o nosso ego e a nossa mente tentam arranjar desculpas para não meditar? E sabes porquê? Porque quando meditas estás a dar-te oportunidade de estar em contacto contigo mesma. Com a tua essência.

Quando vemos pessoas a meditar, estão normalmente sentadas no chão, com os olhos fechados e pronto. E isso pode ser muito assustador para algumas pessoas. “Estar parada? Sem fazer nada? Não vou conseguir!”

Então, este post serve para te ajudar a ver a Meditação de outra forma e a saber, antes de mais, os efeitos que tem no teu bebé e porque tem tantos benefícios.

Primeiro, importa saber que o stress materno influencia muito e directamente o bebé.

Os efeitos do stress materno no bebé são:

  • aumento dos batimentos fetais
  • alterações neurológicas
  • baixo peso do bebé ao nascer
  • aumento da taxa de pretermo
  • distúrbios emocionais
  • hiperactividade
  • alterações no desenvolvimento cognitivo
  • alterações metabólicas/endócrinas
  • crianças que sentem mais medo e dor no seu dia-a-dia
  • diminuição da relação mãe/bebé
  • choro prolongado no período neonatal
  • reacção a situações stressantes
  • resposta mais irritável e nervosa
  • asma
  • erupções cutâneas
  • doenças cardíacas em adultos

 

E o que significa meditar?

  • oportunidade de abrandar o ritmo, diminuir pensamentos e observá-los
  • refinar a intuição (voz da alma)
  • auto-conhecimento, observar padrões
  • treinar a mente
  • clareza mental
  • desenvolve a mente neutra

 

Como funciona a mente?

  • Vou dar-vos um exemplo que representa bem esta questão. Existe um carro (o nosso corpo), um condutor (a nossa alma) e um macaco no banco do pendura (a nossa mente). A nossa mente foi-nos dada com o propósito de nos ajudar. No exemplo do macaco, se ele for treinado, ele pode ajudar e muito o condutor. Pode segurar no mapa e dizer, antecipadamente, as alterações de caminho. Pode alertar e acordar quando o condutor está sonolento, pode ajudar a detectar algum problema com o carro, pode ajudar a trocar o pneu… Mas, se por outro lado, o macaco é indisciplinado, sem regras, que faz tudo o que lhe apetece quando lhe apetece, pode ser muito perigoso. Imagina que o macaco começa a saltar e tapa a visão do condutor. Ou salta para o volante e assume o comando?! Na verdade, é isto que acontece a maior parte do tempo, nas nossas vidas. A mente é mais poderosa do que a alma e é ela que comanda as nossas vidas.
  • A meditação é então o treino do “macaco”. A transformação do macaco indisciplinado, egocêntrico, convencido ser o condutor, para o macaco ao serviço do condutor.
  • Nós temos 3 mentes: a mente negativa (que nos alerta para os perigos, que nos ajuda a dizer “não”), a mente positiva (que vê o lado positivo das situações, que nos ajuda a aumentar os nossos limites e sair da zona de conforto) e a mente neutra (que olha para os argumentos das duas mentes e, alinhada com a nossa essência, decide o melhor para nós).
  • A meditação ajuda a centrar e a escutar a intuição.

 

Quais os benefícios da meditação na gravidez?

  • aumenta a ligação mãe-bebé
  • aumenta a sensação de bem-estar, tranquilidade e paz
  • traz harmonia e foco
  • melhora o sistema nervoso e, como consequência, ajuda no parto
  • aumenta a capacidade pulmonar e, como consequência, ajuda no parto
  • liberta de reacções e hábitos inconscientes, medos e bloqueios
  • aumenta clareza da mente, consciência e capacidade de estar presente
  • aumenta a ligação com a própria alma e com o próprio poder

Na gravidez, temos nove meses para treinar a mente, para cuidar dos inputs da mente negativa e da mente positiva e elevar a nossa energia para que seja a mente neutra a decidir. Isso traz-nos clareza para o parto e também para a parentalidade.

Em Kundalini Yoga existem vários tipos de meditação:

  • Meditações com mantras – aumentam a capacidade pulmonar, a paciência, despertam sentimentos como alegria, traz equilíbrio e mantém o ritmo
  • Meditações com respirações longas e profundas – cria foco e harmonia mental. Trabalham profundamente, limpam e clareiam o subconsciente
  • Meditações com braços e Kriyas – criam força, mantém o foco e constroem o sistema nervoso, preparando-o para o parto. Ajudam a confrontar os medos, ensinam a lidar com a dor e libertam o medo do desconhecido
  • Meditações de cura – nutrem a relação connosco próprias e a ligação com a capacidade Infinita.
[imagem de Sam Edwards, de Gettyimages]