Quem está ou já esteve grávida é capaz de concordar comigo que as perguntas que mais ouvimos são “Quando e onde nasce o bebé?”

Quem planeia engravidar em breve, preparem-se e usem algumas destas dicas se vos fizer sentido!

Quando o teste de gravidez dá positivo, é quase imediato, pegarmos no calendário e vermos para quando é o nascimento do bebé! Vemos então o primeiro dia da última menstruação, contamos 40 semanas, e temos “O” dia!

A questão aqui é que este dia é APENAS o dia em que a gestação completa 40 semanas. Sabemos que a gestação dura, normalmente, entre 37 e 42 semanas. Então para quê ficar presa a um dia? E temos noção da ansiedade que isso pode criar no futuro?

Porque uma coisa é estarmos no início da gestação e irmos projectando a altura do ano em que calha, se é Verão ou Inverno, se será Gémeos ou Escorpião, etc. Outra coisa é ficarmos focadas num dia apenas e, conforme a gestação se vai desenrolando, olharmos para aquele dia como a meta a atingir e esquecermos que pode ir até 2 semanas após.

E estamos preparadas para lidar com o telefone a tocar todos os dias a perguntarem “Então, já nasceu?”

E pior “Já passou a data. Se calhar alguma coisa está errada.” ou “A placenta vai envelhecer e o teu bebé pode morrer.” E taaaaaaantas outras coisas que são ditas neste espaço de tempo, entre a “data prevista do parto” e o parto efectivamente.

Sabendo disto, comecei a educar a conversa para quando as pessoas me perguntassem. Digo sempre final do mês de Outubro, início de Novembro. Assim contemplo aqui umas 2 semanas para trás e 2 semanas para a frente e ninguém fica muito preso a um dia apenas.

A questão é que tenho sido muito chata nas minhas respostas porque, antes de responder simplesmente à pergunta que me fazem, tenho sempre tendência para clarificar a pergunta. Ou seja:

  • ” Quando é que nasce o bebé?” A minha resposta é invariavelmente “Quando ele quiser!” E continuam “Sim, claro. Mas o dia que está previsto?” “As 40 semanas? É porque as 40 semanas são diferentes do dia do parto.” “Ah sim….” E só depois respondo o intervalo de tempo. (E às vezes é cansativo porque apetece-me só ficar pelo “Quando ele quiser”.)

Outra pergunta que fazem muito é “Onde vai nascer o bebé?”

E a minha resposta é a mesma! Ahah. “Onde ele quiser”. E as pessoas ficam a olhar para mim surpreendidas como quem pensa “Como assim?!”

E se há momentos em que me apetece responder mais do que isso, começo a resposta com “Estamos a planear que seja no Hospital Garcia de Orta.” E deixo bem marcado o “estamos a planear…” porque o parto é mesmo imprevisível e faz-me muita confusão verbalizar algo tão certo e determinante quando eu não faço ideia. É mesmo apenas um plano!

> A sugestão que vos dou é que não respondam “O” dia em que fazem as 40 semanas mas sim um intervalo de tempo e de preferência contemplando a hipótese de chegares às 42 semanas. Assim, se deres o prazo mais alargado ninguém te chateia na altura com “Ainda não?”

Pode parecer-te capricho o que te estou a dizer, mas acredita, num final de gestação, a contagem decrescente é inata. É mais forte do que nós. Queremos tanto conhecer o nosso bebé e passar por essa experiência, que cada dia conta. Para além da nossa possível ansiedade dessa altura, ter de responder a meio mundo, “Então ainda não nasceu?” pode ser mesmo desgastante e uma grande fonte de stress.

Se soubermos disto com antecedência, podemos evitar algumas chatices.

> E quando perguntam “Onde nasce?” – treina responder “Estamos a planear ser no local X.”

Porque esta simples mudança na tua resposta trabalha a tua flexibilidade a abertura para o momento. Em vez de controladora e altamente inflexível, aproveitas para deixar alguma abertura para o imprevisível. Não estou com isto a dizer que não nascerá onde planeias. Mas o que expressamos e verbalizamos conta muito. E assumir que é um plano é também dizeres-te a ti mesma que abres mão do controlo nesse momento. Que te entregas e confias ao melhor que está à tua espera.

 

Não te esqueças que apenas 4% dos bebés nasce na “Data prevista do parto”, sendo que a duração normal da gestação é desde as 37 e 42 semanas e a maioria dos bebés nasce entre as 39 e as 41.

Associação Americana de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) apresenta-nos valores estatísticos da distribuição do partos conforme a idade gestacional:

  • 97,5% dos bebés nascem até 42 semanas;
  • A maioria dos partos acontece entre 39 e 41 semanas
  • Aproximadamente 30% dos bebés nascem durante a 40ª semana
  • 15% dos partos ocorrem espontaneamente entre 41 e 42 semanas
  • 2,5% dos partos aconteceriam depois de 42 semanas