Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Novo Serviço!

acompParcial

E é através das necessidades que vamos sentindo, que novas ideias surgem e neste caso, um novo seviço!

É sabido que são ainda raros os hospitais que permitem a entrada de mais do que um acompanhante da grávida durante o parto. Mas é sabido também que quanto mais tarde a mulher for para o hospital (dentro obviamente da segurança, da sensatez e da necessidade da mulher), menos intervenções serão necessárias.

Se um trabalho de parto pode demorar 12/14/20 horas, sabendo nós que existe toda a primeira fase do parto, a fase latente, em que há contracções regulares mas espaçadas, muitas vezes sem dor associada ou com dor ligeira, que nesta altura facilita caminhar e movimentar o corpo, porque razão havemos de ir a correr para o hospital?

E porque razão também não há-de ser, nesta fase, a mulher acompanhada pela doula?

Por isso, criei este novo serviço, esta oportunidade para os casais, que escolhem ter parto hospitalar mas que escolhem também ficar em casa, de uma forma tranquila e consciente até ao momento de ir para o hospital, estarem “oxitocinamente” acompanhados. :p

É um serviço que inclui a disponibilidade por telefone 24h a partir das 38 semanas, o acompanhamento da mulher durante o trabalho de parto na sua casa e acompanhamento até ao Hospital. Inclui também 2 visitas no pós-parto.

Durante este fim de semana, no encontro Nascer em Amor, falavamos sobre isto. Num país Nórdico, onde os partos em casa são legais (tal como em Portugal) e tão divulgados quanto os partos hospitalares (nada a ver com Portugal :p), a grande grande maioria das mulheres escolhe o parto hospitalar. O que nos apercebemos é que a maioria das mulheres se mantém em casa com apoio e acompanhamento de parteira até perto do momento expulsivo, altura em que pelos seus próprios meios, se dirigem para o hospital.

É claro que ter uma parteira a acompanhar em casa durante o trabalho de parto possibilita a mulher estar completamente segura porque está a ser monitorizada e avaliada, bem como o bebé, e ir para o hospital na altura mais propícia do seu processo. E o trabalho da parteira nada tem a ver com o trabalho da doula, e por isso, não é essa a ideia.

Mas sabemos que muitas mulheres em Portugal dão entrada na maternidade cedo demais. E felizmente, há profissionais de saúde que estão alerta para isso e sugerem às mulheres voltar para casa e descansar mais um pouco, deixando o trabalho de parto avançar, mas há outros que não.

Então se pudermos trabalhar todos em equipa, diminuindo a ansiedade da mulher em ir para o hospital, permitindo que os seus níveis de oxitocina subam e se mantenham altos para que o trabalho de parto realmente avance e se desenrole e, manter a mulher consciente para que possa decidir quando é a altura de ir para o hospital (sem ser por medo mas por conexão consigo e com a sua vontade), todos ganhamos, certo? 🙂

O novo serviço chama-se ACOMPANHAMENTO PARCIAL EM PARTO HOSPITALAR e foi feito então para estes casais que vão ter os seus bebés no hospital, que, por enquanto, não podem levar nenhum acompanhante extra e que querem estar acompanhados pela doula desde o início do trabalho de parto até decidirem sair de casa e dar entrada na maternidade.

Espero que vos seja útil e que seja “válido” por pouco tempo! :p (É sinal que os pais deixam de ser considerados acompanhantes mas sim PAIS e que a mulher pode escolher quem leva consigo para este momento tão importante!)

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: