Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Para que serve o medo?

Para que serve o medo?[dt_gap height=”10″ /]

Numa altura da vida, como a gravidez, parto e pós-parto, em que o medo surge de vários sítios e muitas vezes em simultâneo, faz sentido olhar para ele e fazer este caminho lado a lado com o medo usufruindo do melhor que ele tem para nos dar 🙂

Tendemos a achar que o medo deve ser evitado. Se eu sinto medo de alturas, eu não me vou colocar perto da janela num edifício muito alto. Se eu sinto medo do escuro, eu vou evitar andar às escuras. Se eu sinto medo de perder alguém, eu vou evitar ligar-me a essa pessoa, para não sofrer com a perda, etc etc[dt_gap height=”10″ /]

Para que serve o medo afinal?[dt_gap height=”10″ /]

Yogi Bhajan diz que as emoções são os sentidos da alma. As emoções servem para nos conhecermos cada vez mais e melhor e para expressar a nossa verdadeira identidade, a nossa luz, a nossa alma.[dt_gap height=”10″ /]

De que tens medo tu? O que fazes quando sentes medo? Conheces-te a este ponto? Observa-te.

Podes reagir quando sentes medo e podes reagir atacando alguém. Podes encolher-te e parar-te. Podes sentir o medo, usá-lo a teu favor e continuar.[dt_gap height=”10″ /]

O medo serve para te levar para a segurança. Quando sentes medo tens uma grande oportunidade de encontrar soluções práticas que te devolvam a segurança que sentes ter perdido.

Por exemplo, uma mulher que queira muito engravidar e de repente sente medo que não seja a altura certa, que não tenha condições financeiras suficientes, que não esteja preparada mentalmente, que o companheiro não seja o melhor pai para aquele bebé, que possa ficar doente e perder o bebé….(E tudo mais que te faça sentido acrescentar a esta lista infinita).[dt_gap height=”10″ /]

A pergunta é: Onde encontras a tua segurança no momento em que tudo isto surge? Procuras essa segurança fora de ti? Na conta bancária, no contrato de trabalho, no juramento do companheiro que promete dar o seu melhor?

Ou olhas para dentro e conectas-te com esta segurança interior, com esta certeza que pertencemos ao Universo, e que temos o Universo dentro de nós. Confias na vida e no fluxo da vida e permites-te ir neste fluxo ou procuras tudo fora de ti, tentando controlar tudo e todos de forma a não te sentires em perigo nunca?

Observa os teus medos. Para onde te levam eles? Podes fazer este exercício, escrevendo num papel os teus medos e a oportunidade que tens de, atravessando-os, conheceres um pouco mais de ti própria.

Quando sentires medo podes colocar as mãos no chão, sentir o chão por baixo de ti, este chão que te sustenta e te suporta e perguntares-te “Qual é o perigo? O que preciso fazer neste momento para me manter em segurança?” (Re)encontra em ti esse sustento e esse suporte! [dt_gap height=”10″ /]

O primeiro passo é perguntares-te “De que tenho medo afinal?”

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: