Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Porque é que eu sou doula?

 
Porquê? Para quê? O que me leva a ser Doula? Doula? Mas quase ninguém sabe o que isso é. Porque é que queres ser isso que quase ninguém sabe o que é? E tem aceitação? Ou és doula para ti própria? E há quem esteja disposto a pagar? Mas precisas de ter tanto tempo livre. Tens? Consegues ter? O que sentes quando dizes “Eu sou Doula.”?
 
O que eu sinto quando digo “Eu sou Doula” é um contentamento tão grande, uma plenitude imensa que só me apetece sorrir e sorrir e depois chorar de tamanha emoção.
Ser doula para mim é ouvir, é partilhar a sabedoria que trago em mim e que mentalmente não sei de onde vem. É ser um espelho de quem me procura, mostrando a realidade e levantando questões.
É devolver ao casal o poder que eles têm. É dar atenção, mostrar cuidado e mimar. É ser a voz do bebé que está no útero ou que esteve e que saiu cedo demais.
É chamar a consciência, é alertar para as escolhas feitas e mostrar alternativas.
É falar de aborto e ser o ombro de apoio, é falar de aborto e ser os braços que se abrem.
É ouvir as perguntas que me fazem e devolver as mesmas perguntas lembrando que cada um de nós tem a resposta a todas as questões.
É ser o silêncio. É ser o olhar. É respeitar o silêncio e respeitar as palavras.
É sentir o coração transbordar de alegria e sentir que não há outra forma de viver para mim. É sentir que ser doula faz parte de quem eu sou e ser muito muito grata por ter o privilégio de acompanhar estas famílias.
 
E sentir que há mulheres que realmente valorizam esta missão que tenho e que sentem a mais valia de ter o meu acompanhamento é qualquer coisa de estrondoso!
E de repente descubro, concretizando, o trabalho da minha vida.

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: