No Sábado passado estive no Encontro da Rede de Apoio Pós-Natal (http://postnatalsupportnetwork.com/), na Quinta do Rajo.

Esta Rede é internacional mas também NACIONAL. E é isso mesmo que quero partilhar convosco.

Esta rede de apoio surgiu da necessidade das mulheres de serem apoiadas no seu pós-parto e de o manterem saudável, feliz e divino. O Pós-Parto, especialmente os primeiros 40 dias de vida do bebé, é uma fase muito sensível para todos. A família está a ajustar-se à nova realidade, a mãe está a recuperar do parto, a aprender a amamentar, a cuidar 24 sobre 24 horas do seu bebé e o bebé está a chegar a este mundo terreno em que TUDO é novo.

Nesta altura, a única coisa que importa e que prioriza todas as outras é cuidar do bebé. Então as refeições são a correr, a casa fica por limpar, a roupa por lavar, as compras por fazer e entramos num ciclo vicioso do “desenrasca”. A juntar a isto as noites mal dormidas, o cansaço acumulado, a falta de comunicação entre o casal, etc, podem ver onde isto vai chegar, certo?

A Rede de Apoio Pós-Natal tem as suas bases nos ensinamentos de Kundalini Yoga, que considera os 40 primeiros dias de vida do bebé como fundamentais para a sua chegada sã à terra. Se o Pós-Parto começa a cambalear, a correr, a despachar, algo se vai perder pelo caminho. Os traumas acontecem e as depressões também. Não há necessidade disso se uma coisa tão simples for feita: PEDIR AJUDA.

Socialmente temos dificuldade nisto. Temos medo de ser julgadas, de nos dizerem que como é possível não conseguirmos se todas conseguem, de mostrar vulnerabilidade, de sermos fracas.

Eu cá acho que pedir ajuda demonstra uma coragem e uma humildade gigantes! Se há à nossa volta quem nos possa e queira ajudar, porque não pedimos?

Porque recebemos visitas em casa, com cházinho e bolinhos quando o que mais nos apetece é aproveitar a sesta do recém-nascido para dormir também? Porque não aceitamos a sopa que a sogra quer trazer, em vez de termos mais essa preocupação? Porque não deixamos que a nossa mãe entre pela nossa casa e desate de arrumar tudo se para nós é tão melhor amamentar descansada? E porque o sogro não pode ir comprar a bilha do gás que tantas vezes falou?

Sei também que há muitos casais que estão longe das famílias e não têm grupos de amigos assim tão prestáveis, por isso mesmo, esta rede de apoio existe! Existe para ti em qualquer circunstância! Existe para te apoiar no que tu precisares.

Podes ter alguém que vá a tua casa simplesmente ouvir-te. Podes ter alguém que lave a tua loiça, que prepare comida SAUDÁVEL E EQUILIBRADA nesta altura em que estás a amamentar e que deves cuidar-te tão bem! Podes ter alguém que leva o teu filho mais velho ao parque ou brinca no quartinho do lado. Podes ter alguém que te leve as compras que tu não conseguiste comprar. E está tudo bem. É livre de julgamento.

Esta rede existe porque acredita que se as mulheres não estiverem íntegras e plenas, os seus filhos também não vão estar, os seus companheiros vão sentir, e a sociedade vai sofrer com essas consequências.

Está neste momento a ser criado um grupo aberto no facebook para que quem precisa de ajuda contacte com quem tem ajuda para oferecer. Chama-se Rede de Apoio Pós-Natal. Adere e partilha!

Há uma formação de 2/3 dias, gratuita (financiada pela Postnatal Support Network, para todos aqueles que queiram saber mais sobre o Pós-Parto e formas de contribuir e fazer parte dos voluntários da Rede. Vão estando atentos no Grupo que toda a informação será divulgada.

Por agora vamos tratar de EDUCAR as famílias a pedir ajuda SEMPRE! 😀