Olá, eu sou a

Sou doula de coração e por vocação. Sempre me deslumbrei com a gravidez, a maternidade e os bebés e quanto mais relembro os conhecimentos e a sabedoria que trago em mim, mais apaixonada fico por esta fase da vida em que doamos a vida.

Toxoplasmose na gravidez – mitos e verdades e vamos lá deixar os gatos em paz

Olá!
Estou de volta depois de umas férias descansadas, sem horários, sem grandes planos, aproveitando para esvaziar a cabeça o mais possível, esquecer compromissos e responsabilidades e viver um dia de cada vez.
Esta semana deu-me força para voltar ao estudo e para voltar à partilha do que mais apaixonante me move – ser doula!
Uma amiga querida está no início da sua tão desejada gestação e no meio de “medos” e preocupações naturais do primeiro trimestre, surgiu a TOXOPLASMOSE.


O que é afinal a Toxoplasmose?

> É uma zoonose, ou seja, uma doença infecciosa causada pelo parasita Toxoplasma Gondii (parasita muito comum) que é transmitida entre animais e humanos, e que é geralmente assintomática, sem consequências preocupantes. No entanto, esta infecção pode ser potencialmente grave em mulheres grávidas (que nunca tenham tido a doença e por isso não sejam imunes) uma vez que este parasita atravessa a barreira placentária e pode infectar o feto causando, raramente, doenças neurológicas ou oculares graves e também malformações cardíacas e cerebrais.

Quais são os sintomas?

> Normalmente é assintomática, mas os sintomas são febre, mal-estar, dores musculares e podem surgir gânglios dolorosos na zona do pescoço.

Como se transmite a Toxoplasmose?

> O parasita Toxoplasma Gondii habita em animais domésticos e silvestres, incluindo porcos, cabras, aves, bovinos, cães e gatos. Os gatos são os animais responsáveis pela transmissão directa do parasita aos humanos uma vez que o expelem através das fezes.
Assim, a transmissão da doença pode ser feita pelo contacto dos humanos com as fezes do animal, seja directamente, seja através de frutos ou legumes mal lavados, terra que tenha estado em contacto com fezes de gato ou água contaminada.
Para além disto, a transmissão também pode ocorrer pela ingestão de carne vermelha mal cozinhada, uma vez que há outros animais que podem ser infectados, e ao ingerir esses animais, podemos também entrar em contacto com o parasita.


Que cuidados podemos ter para evitar a Toxoplasmose?

> Evitar contacto directo com fezes de gatos – manter a caixa da areia limpa, lavar bem as mãos depois da higienização da caixa ou pedir ao companheiro que durante os primeiros 4 meses de gestação seja ele o responsável por esta tarefa 🙂
> Lavar bem os alimentos que possam ter estado em contato com fezes de gatos. Até podemos desinfectá-los acrescentando um bocadinho de vinagre ou lixívia na água da lavagem
> Evitar comer carnes vermelhas mal cozinhadas
> Evitar enchidos e fumados
É importante lermos e apreendermos esta informação para que a Toxoplasmose não seja um monstro papão do primeiro trimestre e os gatos não assumam uma responsabilidade maior do que a que têm.  Mulheres que têm gatos antes de engravidar, provavelmente já serão imunes! Mulheres que costumam fazer jardinagem sem luvas, correm tanto ou mais risco de contrair a doença como as que contactam com as fezes dos animais. Os principais problemas surgem no primeiro trimestre que é a altura em que o feto se está a formar, depois disso podemos descontrair um pouco destes cuidados apertados. Não é preciso entregar os gatos, deixá-los em casa dos sogros, deixar de lhes dar festinhas, deixar de jardinar ou deixar de comer legumes.
É preciso sim informação, divulgação e descontracção. Cuidados sim, mas q.b. 🙂
[imagem dehttp://www.magrossesse.com/fr/dossiers/sante/maux-de-grossesse/la-toxoplasmose-704 e  http://www.vocereporter.net/toxoplasmose-na-gravidez-sintomas-tratamento-e-risco-para-o-bebe/

Se gostaste deste post, também vais gostar destes: